quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Comecei a ler o livro

Ola, pois é, comecei a ler o livro....
São palavras fortes, reais, sentidas, pelo menos para mim. A história não é bem a minha, mas tem emoções como as que senti, e descreve muito bem quem ele é.
Existem frases que me marcaram, e essas mesmas foram as que me fizeram chorar enquanto as ia lendo.
Assim vos deixo algo que parece ter sido escrito para mim, por ser tão real e tão presente, como se da minha vida se tratasse: "Escrever-te é crucial para mim, sempre foi. Ao longo dos anos transformou-se na minha segunda natureza...Sou água que corre descontrolada e sem destino certo e que, por vezes, pensa poder mudar o curso do rio. Outra vez o monstro a acordar, a mexer-se na imensidão emaranhada do passado, pronto para engolir o tempo e fazer estragos de grande porte."- página 50, Margarida Rebelo Pinto, O Dia em que te esqueci.
Kiss Kiss


4 comentários:

A Amora Silvestre disse...

Um santo natal com muito amor, saúde e alegria:)

Ana Rodrigues disse...

Olá!
"A Melhor mensagem de Natal é aquela que sai em silêncio de nossos corações e aquece com ternura os corações daqueles que nos acompanham em nossa caminhada pela vida."
Bjs do tamanho do Mundo

manuel marques disse...

Desculpe vir tarde, mas não tenho conseguido entrar neste seu espaço.Penso que o problema já esteja resolvido.
Desejo que tenha passado um santo Natal e que o novo ano lhe traga tudo de bom.

Abraço.

Sonia Schmorantz disse...

Receita de ano novo 
de Carlos Drumond de Andrade
 

Para você ganhar belíssimo Ano Novo 
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz, 
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido 
(mal vivido talvez ou sem sentido) 
para você ganhar um ano 
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras, 
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser; 
novo 
até no coração das coisas menos percebidas 
(a começar pelo seu interior) 
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota, 
mas com ele se come, se passeia, 
se ama, se compreende, se trabalha, 
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita, 
não precisa expedir nem receber mensagens 
(planta recebe mensagens? 
passa telegramas?) 
 

Não precisa 
fazer lista de boas intenções 
para arquivá-las na gaveta. 
Não precisa chorar arrependido 
pelas besteiras consumidas 
nem parvamente acreditar 
que por decreto de esperança 
a partir de janeiro as coisas mudem 
e seja tudo claridade, recompensa, 
justiça entre os homens e as nações, 
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal, 
direitos respeitados, começando 
pelo direito augusto de viver. 
 

Para ganhar um Ano Novo 
que mereça este nome, 
você, meu caro, tem de merecê-lo, 
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil, 
mas tente, experimente, consciente. 
É dentro de você que o Ano Novo 
cochila e espera desde sempre.

Que em 2010 Deus o abençôe com saúde, paz, muito amor e um bom trabalho!
abraço