sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Por tudo que foi nada


  Todos os sonhos, todos os esforços foram poucos para conseguir. Descobri que não tenho forças capazes de vencer. Sou como os sonhos que o vento leva e não traz. Olho para trás e vejo que caí aos trambolhões por um caminho estreito e cheio de buracos, que me foram cortanto e rasgando a cada volta que dava.
  Construí com bases de mentiras, mentiras que não eram minhas, mas que destruiram as minhas verdades, construí no ar sem ter oportunidade de poder vencer, porque não existia nada para lutar para conquistar. Entrei numa vida que desde o início já estava perdida, entrei nela sem saber que não tinha direito a conquistar, direito a sobreviver.
  Quando vejo a minha imagem refletida no espelho, passo os olhos como se de algo invisivel se tratasse, não reparo, não vejo, porque fui castigada por coisas que não fiz, recebi dor, sofrimento, desespero, angústia, mágoa, lágrimas em troca do amor que dei.
 Hoje sou uma sombra do que alguma vez fui. Sorria em todos os momentos, lutava, brincava, era capaz de escalar uma montanha e ainda ter vontade de a escalar de novo porque não vi tudo, não vivi tudo, descia e subia quantas vezes fossem precisas para sentir todos os segundos dessa viagem, os aromas, as cores, a luz, o brilho, as formas, tudo captava sem nunca me cansar.
Hoje não consigo apreciar, admirar, olhar além, porque tudo me traz recordações do que amei, do que vivi, do que pensei ser para sempre.


Ninguém tem o direito de roubar a vida a outra pessoa, ninguém tem o direito de ferir tão fundo que nunca mais se consegue parar de sangrar, ninguém tem o direito de pisar e achar que tinha razão.
Kiss Kiss

2 comentários:

Nivia Cadupi disse...

Intençao priscila, era comentar...mas nao consigo...
Se meu texto mexeu com vc, seu texto me deixou perplexa! Nao consigo escreve,pq só quero chorar...
niviacadupi@hotmail.com
Me adicione como contado do msn...acho que vai ser bom pra nós duas...

Anónimo disse...

Realmente não dá mesmo para fazer um comentário...
Muita força amiga.Amanhã será outro dia, e quem sabe talvez melhor do que o de hoje.

Um beijo