sábado, 8 de novembro de 2014

Uma História ou não

 Há uns dias que não vinha aqui, por motivos pessoais estive afastada, mas hoje quis vir até aqui para vos contar uma história, uma história conhecida de muitas vós ou não.
Não é uma história de encantar, como as que gosto de ler, não é sobre príncipes e princesas, nem se pode dizer que é sobre pessoas, nem seres humanos.
 A história que vou contar é sobre bichos, sem querer ofender os animais claro, é sobre aqueles seres repugnantes que se escondem na sombra e "contam" versões de mentiras desumanas. Aqueles que andam em constante actividade para apanhar presas inocentes.
 E a história começa assim,
 Era uma vez......
 Num país distante e escondido do sol, três bichos que passavam os seus dias a inventar maldades no seu caldeirão de escuridão. Todos os dias contavam os segundos para conseguirem sair da sua caverna e fazerem o mal.
 Esperavam sempre os momentos em que as presas estavam mais frágeis.
 Subtilmente à noite saíam para contar versões absurdas de mentiras imaginárias em seus pensamentos perversos.
 Certa noite, entraram no reino encantado, onde reinava a paz e começaram a lançar o seu veneno moribundo, só que estes bichos não conseguiam lidar com a calma e a pacificidade, isso era algo que eles não conseguiam compreender, era impossível, pois a falta de um coração fazia com que esses bichos não atingissem o estado de paz.
 Constantemente esses bichos prepavam armações, enlaçavam outros com a sua falsa capa de bons, eram calculistas em todos os passos que davam, sem pensar em se estariam a prejudicar alguém, sem respeitar momentos de dor, pensando nas consequências para seu próprio bem , a isso normalmente chama-se de psicopatas. (fica na opinião de cada um de vós)
 Estes bichos não tinham carácter, nem conheciam a palavra respeito, nem amor, nem paciência, nem amizade, nem honestidade, nem agradecimento. Tudo aquilo que estes bichos conheciam, era o seu baixo nível ímpio.
  Sabem o que acontece quando não se sabe ser alguém de paz?
 Somos como os bichos, os bichos que só sabem contar as suas próprias mentiras.
 Estes bichos nojentos, provocavam quem eles mais invejavam. Eram tão repugnantes, que invejavam a paz de outros, invejavam a felicidade de outros, invejavam o carácter de outros, invejavam as lutas e conquistas de outros, invejavam o sucesso de outros, invejavam os sorrisos de outros, invejavam tudo sem qualquer sentido de amor.
 Mas como poderiam ter sentimentos como o amor, se eles não tinham capacidades para tal.
 Esses três bichos, não eram os únicos que existiam, esses bichos tinham uma bactéria, que os informava de todas as coisas que aconteciam no reino encantado, seria melhor essa bactéria? Nem por isso, a única diferença é que essa bactéria era manobrada por um dos três bichos, manobrada ou comprada, fica no ar a dúvida.
 Esses três bichos passavam a vida a lançar o veneno moribundo que lhes saía da boca e corria na alma inteira.
 Esses bichos pouca ou nenhuma importância tinham, conto a história deles para todos nós sabermos da existência, ou não, deles e sabermos como nos preparar para qualquer atitude desumana por parte desses bichos.
 Conto esta história ainda sem fim, porque eles devem ser enterrados e escondidos de todo o reino encantado, e presos até a eternidade.
 Deveria ser considerado crime o que estes bichos fizeram.
 O que estes bichos se esqueceram, é que eles não são os fortes, são os fracos. E que os bichos não vencem, os bichos "morrem".
 O que desejo a esses bichos?
 Que esperem a justiça de Deus e que depois respondam perante Ele. 
 Todos nós temos muito ainda a viver, mas estes bichos terão o pagamento certo.







Sem comentários: